Sem balde de água fria, Powell dá esperanças de cortes nos juros ainda este ano; confira – Money Times


Powell sinalizou que novas altas não estão previstas “neste momento” e não descartou a possibilidade de um corte de juros ainda neste ano. (Imagem: REUTERS/Evelyn Hockstein)

Como já esperado pelo mercado: o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), do Federal Reserve, manteve a taxa de juros entre 5,25% e 5,50% pela sexta reunião consecutiva. Trata-se do maior nível em 22 anos.

No entanto, a atenção dos investidores estava em Jerome Powell. Ao contrário do previsto, o tom de Powell foi menos cauteloso. Basicamente, ele não deixou de alertar para a inflação alta e relembrou a meta do Fed de levar os preços para o patamar de 2%, mas também não foi dos mais pessimistas.

  • VOCÊ JÁ DOLARIZOU SEU PATRIMÔNIO? A Empiricus Research está liberando uma carteira gratuita com 10 ações americanas pra comprar agora. Clique aqui e acesse.

“A economia registou progressos consideráveis ​​em direção aos objetivos do nosso duplo mandato. A inflação diminuiu substancialmente no último ano. Embora o mercado de trabalho tenha permanecido forte”, disse em sua tradicional coletiva de imprensa pós-Fomc. “E isso é uma notícia muito boa. Mas a inflação ainda é muito alta. Mais progressos na sua redução não estão garantidos. E o caminho a seguir é incerto”, completou.

Mas o que animou o mercado foi a sinalização de que novas altas não estão previstas “neste momento” e não descartar a possibilidade de um corte de juros ainda neste ano. No entanto, para dar início ao afrouxamento monetário, Powell lembra que é preciso que a desaceleração da inflação ganhe força ou que o mercado de trabalho enfraqueça.

Wall Street virou após as falas de Powell e passou a subir, levando junto o iShares MSCI Brazil (EWZ), que avança 0,69%. Vale lembrar que o Ibovespa está fechado devido ao feriado do Dia do Trabalho.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fed: O que pesa nos juros dos Estados Unidos

No comunicado de hoje, o Fomc destacou que os indicadores recentes sugerem que a atividade econômica continua a se expandir a um ritmo sólido, mas que fatores preocupam.

“Os ganhos de emprego permaneceram fortes e a taxa de desemprego permaneceu baixa. A inflação diminuiu ao longo do ano passado, mas permanece elevada. Nos últimos meses, não houve progressos adicionais em direção ao objectivo de inflação de 2% do Comitê”, diz o texto.

A criação de vagas de trabalho no setor privado dos Estados Unidos cresceu em abril e superou as expectativas, mostraram dados divulgados nesta quarta-feira (1) pelo relatório ADP Employment.

Foram abertos 192.000 postos de trabalho no setor privado no mês passado, depois de 208.000 em março em dado revisado para cima. Os dados do payroll, indicador usado pelo Fed, saem só na sexta-feira (03).

Já a inflação americana aumentou moderadamente em março. O índice PCE de preços subiu 0,3% no mês passado, informou o Departamento de Comércio na semana passada. Os dados de fevereiro não foram revisados e mostram um aumento de 0,3% do PCE.

Nos 12 meses até março, a inflação aumentou 2,7%, depois de avançar 2,5% em fevereiro. Economistas consultados pela Reuters previam que o índice subiria 0,3% no mês e 2,6% na base anual.

Confira a coletiva de Powell na íntegra



LEIA MATÉRIA ORIGINAL