La Niña, ‘descontão’ para Suzano (SUZB3) e BlackRock na Cosan (CSAN3); os destaques do Agro Times – Money Times


Questões como o Plano Safra 24/25, assim como os impactos da nova MP 1.227 estiveram entre os temas relevantes do agro na semana(Foto: Pixabay)

A primeira semana de junho foi recheada de notícias que movimentaram o agro, com destaque para nova Medida Provisória (MP) 1.227/2024 que limita a compensação de créditos de PIS/Pasep e Cofins, vista como negativa para diversas entidades do setor, como a ABAG e a Abiove.

Além disso, em entrevista, o Ministro da Agricultura e Pecuária do Brasil (Mapa), Carlos Fávaro, disse negociar com o Ministério da Fazenda mais de R$ 500 bilhões para o Plano Safra 2024/2025.

E a JBS (JBSS3) e Marfrig (MRFG3) tiveram suas estimativas e preços elevados pelo Itaú BBA, a partir de um ambiente favorável para frango e desafios nos EUA.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

  • Pensando em investir no agro? Confira a lista de melhores ações segundo a Empiricus Research e descubra qual é a empresa do setor que não pode faltar no seu portfólio. Clique AQUI para acessar gratuitamente.

Os temas que mais se destacaram na última semana:

5º lugar – BEEF3, MRFG3, JBSS3 e BRFS3: Com MP que restringe crédito do PIS/Cofins, BTG recomenda apenas um

frigoríficos pis cofins
(Foto: Money Times)

O Governo Federal publicou no Diário Oficial da União (DOU) a Medida Provisória (MP) 1227 que versa sobre compensação de créditos de PIS/Cofins, como tentativa de equilibrar os custo associados à desoneração da folha de pagamento para 17 setores da economia e municípios neste ano.

Com o novo projeto de lei, a principal mudança, segundo o BTG Pactual, é que as empresas que ostentam créditos tributários de PIS/Cofins em seu balanço só poderão utilizá-los para compensar obrigações do mesmo imposto, o que significa que não será mais permitida a compensação cruzada com outros tributos federais.

Dessa maneira, quais são os frigoríficos mais impactados?

4º lugar – Frigoríficos na contramão do Ibovespa: JBS (JBSS3), Marfrig (MRFG3) e BRF (BRFS3) ganham R$ 16,502 bi em maio; hora de comprar?

frigoríficos jbs (3)
(Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker)

Depois de um mês de maio fraco para o Ibovespa, quando o índice tombou 3,04%, 3 frigoríficos listados na B3 tiveram um mês de forte altas na bolsa brasileira.

JBS (JBSS3), Marfrig (MRFG3) e BRF (BRFS3) avançaram 23,04%, 19,37% e 10,07%, respectivamente.

Na visão de Pedro Fonseca, analista de Agro, Bebidas e Alimentos na XP Investimentos, as ações de BRF e JBS tiveram uma performance positiva, refletindo fortes resultados que vieram acima das expectativas do mercado.

Top 3 do agro

🥉 3º lugar – Cosan (CSAN3): BlackRock compra ações da empresa

cosan csan3 blackrock 3
(Imagem: Divulgação)

BlackRock elevou sua participação na Cosan (CSAN3) de 4,994% para 5,531%, de acordo com comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quarta (5).

Com isso, a maior gestora do mundo passou a obter 1,9 milhão de instrumentos financeiros derivativos referenciados em ações ordinárias.

🥈 2º lugar – Suzano (SUZB3) vira empresa de papel e celulose mais descontada do mundo com pressão de possível oferta pela IP; hora de comprar as ações?

suzano suzb3 (1)
(Imagem: YouTube/Suzano)

As ações da Suzano (SUZB3) acumularam uma queda de 21,59% (até 5 de junho) desde a notícia sobre uma possível oferta de US$ 15 bilhões (R$ 79 bilhões, no câmbio atual) pela International Paper (IP).

De 6 de maio até 5 de junho, a empresa perdeu R$ 16,480 bilhões em valor de mercado, segundo levantamento da Elos Ayta Consultoria.

De acordo com o BTG Pactual, a companhia se tornou o produtor de celulose com maior desconto no mundo. Com isso, há uma janela de oportunidade para ação?

🥇 1º lugar – La Niña: Os estados e regiões do Brasil que acendem alerta com a chegada do fenômeno climático

(Fonte: Pixabay)

O fenômeno climático La Niñacaracterizado pelo resfriamento anômalo das águas do Oceano Pacífico na faixa equatorial, reduz a ocorrência de ondas de calor, deve se confirmar no segundo semestre.

Recentemente, tratamos sobre onde seca e chove no Brasil com a chegada do fenômeno. Dessa vez, destacamos as regiões e estados que acendem um alerta para possíveis impactos na produção agrícola.



LEIA MATÉRIA ORIGINAL