FMI investiga incidente de segurança cibernética; fonte diz que nenhum gerente de alto escalão foi afetado Por Reuters


© Reuters. Logo do Fundo Monetário Internacional, em Washington, Estados Unidos
09/10/2016
REUTERS/Yuri Gripas

WASHINGTON (Reuters) – O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse nesta sexta-feira que está investigando um incidente cibernético, que foi detectado em 16 de fevereiro, acrescentando que as 11 contas de email envolvidas foram novamente protegidas.

Uma fonte familiarizada com o assunto disse que as contas de email comprometidas não incluíam as da diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, ou de outras autoridades de alto escalão.

“Nenhum dos emails da alta administração foi comprometido”, disse a fonte, que falou sob condição de anonimato, à Reuters.

“A investigação determinou que onze contas de email do FMI foram comprometidas”, disse o Fundo, acrescentando que essas contas foram novamente protegidas e que não havia indicação de comprometimento adicional.

Foi tomada a decisão de divulgar o incidente — o primeiro do FMI desde 2011 — dado o compromisso do credor global com a transparência e como um lembrete para sua equipe para garantir a adesão estrita às práticas de segurança cibernética, disse a fonte.

O Fundo disse que tomou medidas corretivas como resultado da investigação, que foi conduzida com a ajuda de especialistas independentes em segurança cibernética.

“Não temos nenhuma indicação de comprometimento adicional além dessas contas de email neste momento. A investigação sobre esse incidente continua”, disse.

(Por Andrea Shalal e Kanjyik Ghosh)



LEIA MATÉRIA ORIGINAL