Coreia do Norte lavou US$147,5 mi em criptomoedas roubadas em março, dizem monitores da ONU Por Reuters

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) – A Coreia do Norte lavou 147,5 milhões de dólares por meio da plataforma de moedas virtuais Tornado Cash em março, após roubá-los de uma bolsa de criptomoedas no ano passado, segundo um trabalho confidencial dos monitores de sanções da ONU visto pela Reuters nesta terça-feira. 

Os monitores disseram a um comitê de sanções do Conselho de Segurança da ONU, em um documento enviado na sexta-feira, que estão investigando 97 ataques cibernéticos da Coreia do Norte contra empresas de criptomoedas entre 2017 e 2024, avaliados em aproximadamente 3,6 bilhões de dólares. 

Isso incluiu um ataque no fim do ano passado no qual 147,5 milhões de dólares foram roubados da bolsa de criptomoedas HTX, antes de serem lavados em março deste ano, disseram os monitores ao comitê, citando informações da empresa de análise de criptomoedas PeckShield e da empresa de pesquisa de blockchain Elliptic. 

Apenas em 2024, os monitores disseram que estavam analisando “11 roubos de criptomoedas… avaliados em 54,7 milhões de dólares”, acrescentando que muitos deles “podem ter sido conduzidos por trabalhadores de tecnologia da informação da DPRK (sigla em inglês do nome oficial da Coreia do Norte) inadvertidamente contratados por pequenas empresas relacionadas a criptomoedas”. 

Os monitores afirmaram que, segundo estados-membros da ONU e empresas privadas, trabalhadores de TI norte-coreanos operando no exterior geram uma “renda substancial ao país”. 

Formalmente conhecida como República Popular Democrática da Coreia, a Coreia do Norte está sob sanções da ONU desde 2006. Ao longo dos anos essas medidas se fortaleceram, em uma tentativa da ONU de cortar fundos para mísseis balísticos e programas nucleares. 

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou
remova os anúncios
.

A missão da Coreia do Norte na ONU em Nova York não respondeu ao pedido por comentários em um primeiro momento.

Os EUA sancionaram a Tornado Cash em 2022 por acusações de que ela apoia a Coreia do Norte. Dois de seus co-fundadores foram denunciados em 2023 por facilitarem a lavagem de mais de 1 bilhão de dólares, inclusive para um grupo de crimes cibernéticos associado à Coreia do Norte. 

Advogados do co-fundador da Tornado Cash, Roman Storm, que se declarou inocente das acusações dos EUA em setembro, não responderam aos pedidos por comentários em um primeiro momento. 

As chamadas plataformas “mixers” de moedas virtuais, como a Tornado Cash, pegam as criptomoedas de vários usuários e as misturam para ajudar a esconder a fonte e os donos dos fundos. 

Os monitores de sanções da ONU foram dissolvidos no fim de abril, após a Rússia vetar a renovação anual de seus mandatos. Alguns dos monitores enviaram trabalhos incompletos, que foram compartilhados com o comitê de sanções da Coreia do Norte do Conselho de Segurança na sexta-feira.

Tradicionalmente, relatórios dos monitores de sanções são inicialmente acordados por todos os oito membros. O trabalho incompleto enviado ao comitê não passou por esse processo. 

Os monitores disseram que estão investigando uma reportagem do New York Times em 6 de fevereiro, de que a Rússia liberou 9 milhões de dólares de 30 milhões em ativos norte-coreanos congelados e permitiu que Pyongyang abrisse uma conta em um banco russo em Ossétia do Sul, para que pudesse ter melhor acesso a redes bancárias internacionais. 

Anúncio de terceiros. Não é uma oferta ou recomendação do Investing.com. Leia as nossas diretrizes aqui ou
remova os anúncios
.

A missão da Rússia na ONU em Nova York se recusou a comentar o trabalho dos monitores. 

(Reportagem de Michelle Nichols)





LEIA MATÉRIA ORIGINAL