China promete “transformar” economia e estabelece meta ambiciosa de crescimento – Money Times


Nesta semana acontece a reunião anual do Congresso Nacional do Povo, o Parlamento da China. (Foto: glaborde7/ Pixabay)

O primeiro-ministro chinês, Li Qiang, anunciou na terça-feira uma meta ambiciosa de crescimento econômico para 2024, de cerca de 5%, prometendo medidas para transformar o modelo de desenvolvimento do país e neutralizar os riscos alimentados por incorporadoras imobiliárias falidas e cidades endividadas.

Na apresentação de seu relatório de trabalho em reunião anual do Congresso Nacional do Povo, o Parlamento da China, Li também sinalizou um aumento nos gastos com defesa, ao mesmo tempo em que endureceu a retórica sobre Taiwan.

Ao estabelecer uma meta de crescimento semelhante à do ano passado, que será mais difícil de ser alcançada, já que a recuperação pós-Covid está perdendo força, Pequim sinaliza que está priorizando o crescimento em detrimento de quaisquer reformas, mesmo com Li prometendo novas políticas ousadas, disseram analistas.

“É mais difícil atingir 5% este ano do que no ano passado porque o número base ficou mais alto, indicando que os principais líderes estão comprometidos em apoiar o crescimento econômico”, afirmou Tao Chuan, analista-chefe de macro da Soochow Securities.

  • VOCÊ JÁ DOLARIZOU SEU PATRIMÔNIO? A Empiricus Research está liberando uma carteira gratuita com 10 ações americanas pra comprar agora. Clique aqui e acesse.

O crescimento irregular do ano passado evidenciou os profundos desequilíbrios estruturais da China, desde o fraco consumo das famílias até os retornos cada vez mais baixos sobre os investimentos, o que levou a pedidos de um novo modelo de crescimento.

A China começou o ano com uma crise no mercado de ações e deflação em níveis nunca vistos desde a crise financeira global de 2008-09. A crise imobiliária e os problemas com as dívidas dos governos locais persistiram, aumentando a pressão sobre os líderes chineses para que apresentassem novas políticas econômicas.

Com a admiração pelo milagre econômico da China desaparecendo rapidamente, alguns economistas fizeram comparações com as décadas perdidas do Japão desde os anos 1990, apelando por reformas pró-mercado e medidas para aumentar a renda dos consumidores.

“Não devemos perder de vista os piores cenários”, disse Li no Grande Salão do Povo na Praça da Paz Celestial.

“Temos que avançar com a transformação do modelo de crescimento, fazendo ajustes estruturais, melhorando a qualidade e aprimorando o desempenho.”

No entanto, não havia cronograma ou detalhes concretos sobre as mudanças estruturais que a China pretende implementar, e Li também enfatizou a estabilidade como “a base de tudo o que fazemos”.

Li reconheceu que atingir a meta “não será fácil”, acrescentando que é necessária uma postura fiscal “proativa” e uma política monetária “prudente”. A meta considera “a necessidade de aumentar o emprego e a renda e de prevenir e neutralizar os riscos”, disse Li.

O Fundo Monetário Internacional projeta o crescimento da China em 2024 em 4,6%, diminuindo para 3,5% em 2028.

As ações chinesas .CSI300 e o iuan CNY=D3 permaneceram praticamente inalterados.

“Os formuladores de políticas parecem satisfeitos com a trajetória atual”, disse Ben Bennett, estrategista de investimentos da região Ásia-Pacífico da Legal And General Investment Management.

“Isso é decepcionante para aqueles que esperavam um impulso maior… Há um apoio retórico à dívida de governo local e ao setor imobiliário, mas a chave é como isso é aplicado na prática.”



LEIA MATÉRIA ORIGINAL