bitcoin cai sem se distanciar de recorde histórico Por Estadão Conteúdo


© Reuters. Criptomoedas: bitcoin cai sem se distanciar de recorde histórico

O operava em queda nesta terça-feira, 12, ainda que tenha se recuperado das mínimas registradas pela manhã. A moeda digital segue perto da máxima histórica registrada ontem, quando reagiu à decisão do Reino Unido de autorizar a criação de exchange traded-notes (ETN, uma espécie de derivativo) lastreados por criptomoedas.

Por volta das 16h15 (de Brasília), o bitcoin cedia 1,57%, a US$ 71.493,48 (R$ 354.784,19), segundo a Binance. O , por sua vez, recuava 2,23%, a US$ 3.964,93 (R$ 19.705,72).

Na segunda-feira,o bitcoin chegou a ser negociado a US$ 72.953 – um recorde. O bitcoin desfrutou de um período sustentado de impulso de preços influenciado por uma forte interesse de compra, disse o analista do grupo de pesquisa de blockchain Brave New Coin, Aditya Das. “Os compradores receberam confiança graças à popularidade recorde dos ETFs bitcoin à vista americanos lançados no início do ano e ao otimismo em torno da redução do bloco Bitcoin pela metade (halving)”, completou.

O halving restringirá a oferta de tokens em um momento em que a demanda por bitcoin está historicamente alta como resultado da compra de ETFs. Com isso, alguns analistas citam que os preços poderiam subir ainda mais, embora não seja possível prever o quanto o mercado já precificou em relação ao impacto do halving.

Diante do interesse pela criptomoeda, a Grayscale Investments, uma empresa americana de gerenciamento de ativos em moeda digital, fez um registro junto à Securities and Exchange Comission (SEC, a CVM americana) para lançar um novo ETF ligado ao seu principal produto, um veículo de investimentos de US$ 28,5 bilhões.

O Grayscale Bitcoin Mini Trust será negociado com o código BTC. Segundo o comunicado, o ETF será um “desdobramento” do GBTC – o que significa uma certa quantidade de Bitcoin do GBTC seria utilizado para ‘semear’ o novo Bitcoin Mini Trust, caso o fundo receba as devidas aprovações regulatórias.

*Com informações da Dow Jones Newswires



LEIA MATÉRIA ORIGINAL