Ankr expande tokens de staking líquido de Bitcoin para blockchain de IA Talus

A fornecedora de infraestrutura descentralizada em blockchain Ankr irá introduzir tokens de staking líquido de Bitcoin (BTC) na blockchain focada em IA Talus a partir de 1º de maio.

“O Bitcoin não é apenas a mais antiga blockchain, mas também continua a ter a maior liquidez,” escreveu a Ankr. “Infelizmente, essa liquidez tradicionalmente ficou presa dentro do Bitcoin L1. Com a ajuda do serviço de staking líquido da Ankr, o Bitcoin pode ser staked através de vários protocolos de restaking de Bitcoin. Isso permite que os usuários na rede Bitcoin ganhem recompensas adicionais de staking, enquanto fornecem acesso a liquidez de Bitcoin para outros ecossistemas.”

Para participar da finança descentralizada (DeFi) do Bitcoin, os usuários primeiro delegam seus BTC para um operador em um protocolo de restaking, que é então usado como garantia para a Ankr criar tokens de staking líquido de BTC (LSTs). No caso do Talus, os LSTs de Bitcoin podem ser usados para impulsionar os agentes inteligentes ou assistentes de IA da blockchain e suas aplicações, como “reservar viagens, fazer compras online e gerenciar portfólios.”

Os agentes inteligentes no Talus também são capazes de agrupar trocas atômicas de várias camadas e executá-las em uma única transação para fornecer exploits de segurança, como ataques de empréstimo relâmpago. “O staking líquido de BTC da Ankr desbloqueia uma quantidade massiva de liquidez para garantir que os agentes inteligentes no Talus possam executar transações DeFi simultâneas, como trocas atômicas, de forma contínua,” comentou o Talus.

A movimentação vem após a Ankr revelar seu primeiro produto de staking líquido de Bitcoin no início de março em conjunto com o protocolo Babylon. O projeto permite aos usuários “ganhar rendimentos de seus Bitcoins inativos de forma segura” ao oferecer seus Bitcoins como garantia para emitir LSTs que podem ser usados para validar transações em blockchains de prova de participação.

Os rendimentos obtidos dos LSTs staked são então canalizados de volta para os Bitcoins bloqueados dos usuários. Atualmente, o protocolo Babylon está em sua fase de teste, com o lançamento da mainnet agendado para mais tarde este ano.

Apesar de uma correção contínua no mercado, o ecossistema DeFi do Bitcoin tem prosperado ao longo do último ano com a invenção de novos protocolos como Ordinals, Inscriptions, Atomicals e Runes.

Um desses projetos, o protocolo gerador de rendimento omnichain SolvBTC, acumulou um valor total bloqueado de US$ 700 milhões a partir dos Bitcoins que geram rendimento em Arbitrum, Merlin e BNB Smart Chain. Em uma declaração ao Cointelegraph, o SolvBTC afirmou que o protocolo recentemente ultrapassou 10.000 BTC staked e atraiu “mais de 92.000 participantes” pouco depois de seu lançamento no início deste mês.



LEIA MATÉRIA ORIGINAL